Pages

Subscribe:

About

sexta-feira, 24 de março de 2017

Chacina de Messejana – Associação dos Delegados de Polícia Civil repudia críticas do Capitão Wagner

Resultado de imagem para Associação dos Delegados de Polícia Civil do Ceará
A Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Ceará (ADEPOL) divulga nota de repúdio às declarações feitas pelo deputado estadual Capitão Wagner (PR), da tribuna da Assembleia Legislativa, nesta semana, acerca do caso denominado Chacina de Messejana.
Confira:

A Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Ceará – ADEPOL/CE – vem manifestar o seu mais veemente repúdio às precipitadas declarações proferidas pelo Deputado Estadual Capitão Wagner, o qual asseverou, em açodado pronunciamento feito na Assembléia Legislativa do Estado do Ceará, no dia 22 de março, que a Delegada de Policia que presidiu a investigação do caso da chacina ocorrida no bairro Curió teria forjado provas contra quarenta e quatro policiais militares que se encontram presos.

As afirmações do citado parlamentar revelam seu total desconhecimento do modo como foram conduzidas as investigações e principalmente se traduz como agudo desrespeito à categoria dos Delegados de Polícia do Estado do Ceará. A investigação dos crimes ocorridos no episódio conhecido como “Chacina da Messejana” foi realizada de modo transparente, técnico e profissional, seguindo todos os parâmetros e regras legais. Não há quaisquer elementos que evidenciem postura excessiva ou irregular por parte das Delegadas de Polícia que laboraram no inquérito policial mencionado.

As autoridades policiais em menção se tratam de profissionais de histórico inatacável, sem nódoa em seus assentamentos funcionais, representando verdadeiro exemplo de retidão, virtude e proficiência dos quadros da Polícia Judiciária do Estado do Ceará.

Insta frisar que as prisões de todos os policiais suspeitos no caso citado passaram pelo crivo de Ministério Público e do Poder Judiciário, cujas autoridades tiveram amplo acesso às provas produzidas na investigação, o que afasta qualquer conclusão indevida de indicação de provas inexistentes ou forjadas. Todo o processo investigativo foi acompanhado e validado por essas duas instituições.

O direito de crítica e opinião deve, logicamente, ser garantido a todo cidadão. No entanto, o exercício desse direito, notadamente em se tratando de um parlamentar representante do povo, deve manter o absoluto compromisso com a verdade. A tribuna dos representantes do povo não pode ser palco para que se lancem ilações vazias e inverídicas e arroubos populistas contra profissionais que exercem seu mister com denodo e aprumo técnico, dentro dos ditames legais.

Por fim, a ADEPOL/CE manifesta seu integral apoio e solidariedade às Delegadas de Polícia que atuaram na investigação, reiterando seu compromisso em combater os ataques indevidos à imagem dos integrantes da classe.

A DIRETORIA
Com Blog do Eliomar

0 comentários:

Postar um comentário