Pages

Subscribe:

About

terça-feira, 23 de maio de 2017

Falta recursos para tudo... menos para a corrupção

As verbas que faltam para a Educação, abunda para a corrupção
Dormir e acordar, todos os dias, sendo bombardeado com notícias escabrosas é uma rotina mais que natural para o brasileiro. Seja qual for o setor deste gigante, se fizer uma simples investigação, vai encontrar algo errado e a corrupção é o quesito mais certo de estar presente. Há três anos foi deflagrada a Operação Lava Jato, a maior investigação já realizada no Brasil, e que nos mostra números exorbitantes do quanto somos roubados dia a dia por políticos, empresários e funcionários públicos inescrupulosos. Se fizéssemos um pente fino em todos os setores e conseguíssemos apurar todas as movimentações nos últimos 30 anos, com certeza, teríamos uma cifra que saiu dos cofres públicos por meio da corrupção que daria para nos sustentar nos próximos 100 anos. A Polícia Federal e o Ministério Público estão incansáveis em suas inúmeras investigações, e, ao mesmo tempo que nos dá a sensação de estarmos passando o país a limpo, dá uma descrença total de que algo possa mudar. Claro que precisamos acreditar que dias melhores virão, mas a revolta é muito grande. Não temos dinheiro para a saúde, educação, segurança, moradia, transporte público, mobilidade urbano, projetos sociais. Ou seja, para nada, mas para beneficiar pequenos grupos temos milhões. As denuncias envolvendo donos da JBS e políticos, além de mostrar a covardia desses empresários do ramo frigorífico, políticos e de funcionários pagos pelo Estado, também nos mostra o cinismo dessa gente. Pode qualquer pessoa tentar marcar uma reunião em uma grande empresa para pedir algum patrocínio para o esporte, cultura, educação ou qualquer projeto social com qualquer empreiteira, construtora, frigorífico, financeira que a conversa dos empresários será a mesma: “Estamos em crise”, “não temos como patrocinar isso ou aquilo”, “o período não é favorável”… e por aí vai. Claro que não tem e nunca terá. O dinheiro que eles poderiam investir em algo promissor para o país é gasto com financiamento de campanhas de corruptos; com propinas para liberar alimentos podres para o consumo; para pagamento de caixa 2. E ainda falam em rombo da Previdência. Se essas cifras voltassem para os cofres públicos, se tirássemos todos os benefícios absurdos que nossos políticos recebem mês a mês, se acabássemos com cargos que não servem para nada, a não ser para roubar, não há dúvidas de que o tão falado rombo na Previdência estaria coberto. Chega-se à conclusão, portanto, que somos um país riquíssimo, mas devastado pela corrupção.
Por Val Cabral

0 comentários:

Postar um comentário