Pages

Subscribe:

About

terça-feira, 20 de junho de 2017

Ceará é o único estado do Nordeste com crescimento da população ocupada

O mercado de trabalho no Ceará tem 34 mil pessoas empregadas a mais do que em 2016. É o que informa a assessoria de imprensa do Banco do Nordeste, que divulga dados relativos do primeiro trimestre e apontam o Estado como o único da Região Nordeste com crescimento da população ocupada. Os dados são do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene).
O maior acréscimo (22,5%) foi registrado na categoria transporte, armazenagem e correio, responsável pelo ingresso de 25 mil pessoas. O segmento também apresentou valorização de 5,9% em seus rendimentos médios no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo o estudo, o desempenho cearense foi influenciado, em grande medida, pelo bom crescimento das exportações de aço provenientes da Companhia Siderúrgica do Pecém.
Também houve crescimento no quadro de pessoal ocupado em outros cinco agrupamentos de atividades econômicas no Ceará: alojamento e alimentação (15,1%); serviço doméstico (5,6%); comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (5,2%); informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (4,1%); e  administração pública, defesa, seguridade, educação, saúde humana e serviços sociais (1,9%).
Nordeste
A população ocupada na Região foi estimada em 20,7 milhões de pessoas no primeiro trimestre de 2017. O grupo de trabalhadores é composto principalmente por empregados no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (4,3 milhões de pessoas, 21,1%); na administração pública, defesa, seguridade, educação, saúde humana e serviços sociais (3,6 milhões de pessoas, 17,5%); e agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (3 milhões de pessoas, 14,5%).
SERVIÇO
Confira os números no Diário Econômico, publicação do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão do Banco do Nordeste que analisou informações do IBGE. Acesse AQUI.

0 comentários:

Postar um comentário