Pages

Subscribe:

About

terça-feira, 27 de junho de 2017

Ciro Gomes diz que seu irmão é vítima de perseguição de procurador “picareta”

Candidato do PDT à Presidência, o ex-ministro Ciro Gomes saiu em defesa do Irmão, o ex-governador Cid Gomes (PDT), alvo de uma série de ações na Justiça. Falando sobre o caso em que Cid é réu por supostas irregularidades em empréstimo no Banco do Nordeste (BNB), primogênito Ferreira Gomes minimizou denúncias e disse que irmão é vítima de perseguição.
“Só tenhamos clareza de que o Cid é réu em processo em que ele toma dinheiro emprestado, em condições rigorosamente iguais às de qualquer pessoa, dá bens em garantia em três vezes o valor e paga rigorosamente em dia as mensalidades”, disse, antes de fazer uma série de críticas diretas ao procurador da República Oscar Costa Filho.
“Ele é vítima de uma picaretagem dessa fração picareta do Ministério Público, que o senhor Oscar Costa Filho representa”, diz. “Oscar Costa Filho é um picareta, sempre foi. Foi candidato pelo PDT daqui a prefeito e sempre quis interferir. Mora de forma inexplicável em um hotel cinco estrelas sem ter renda para isso e vive fazendo esse tipo de coisa”, diz Ciro.
Fala do ex-ministro diz respeito a ação que questiona um financiamento em R$ 1,3 milhão requisitado Cid Gomes na agência do BNB em Sobral e aprovado em agosto de 2014. Segundo o MPF, o pedido foi concedido com base em uma previsão de faturamento impraticável, com o objetivo de aumentar a margem de crédito na instituição, além de violar normas do banco.
Segundo a denúncia acatada, servidores do BNB teriam “superestimado” receitas apresentadas pela Corte Oito Gestão e Empreendimentos Ltda, empresa que tem o ex-governador como sócio, na hora de calcular o Limite de Risco Global (LRG) do financiamento – o que teria ampliado irregularmente o crédito disponível.
Empréstimo foi concedido com juros abaixo do mercado, dentro do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) para pequenas empresas. Com o recurso, foram financiadas obras de construção de galpões que foram posteriormente alugados para uma empresa da indústria de bebidas alcoólicas em Sobral.
O outro lado
Em nota, o Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) não rebateu acusações de Ciro contra Oscar Costa Filho. O órgão destaca, no entanto, que as irregularidades também foram apontadas por relatório da Controladoria Geral da União (CGU), documento que está entre as provas que basearam ação do MPF.
O MPF ainda aponta que Oscar Costa Filho assina ação de improbidade administrativa – na área cível – movida pelo órgão, mas é outra procuradora, Lívia Sousa, quem assina a denúncia por crimes contra o Sistema Financeiro Nacional – área criminal – contra Cid.
Apesar de Oscar Costa Filho não ter respondido diretamente às acusações, funcionários do MPF que convivem com o procurador contestaram fala de Ciro. Um colega chegou a classificar a fala como “sem pé nem cabeça”, destacando que Oscar é conhecido no órgão por possuir “perfil bastante austero”.
O POVO – Repórter Carlos Mazza

0 comentários:

Postar um comentário