Pages

Subscribe:

About

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Em dois anos e meio, Ceará foi palco de 17 chacinas que deixaram 98 mortos

As mortes múltiplas viraram rotina no Ceará, estado dominado por facções criminosas
Em apenas dois anos e sete meses incompletos, no período compreendido entre janeiro de 2015 e julho de  2017, o Ceará foi palco de 17 chacinas que deixaram 98 pessoas mortas.  A mais recente, ocorreu na madrugada de ontem (20), com quatro vítimas na cidade de Paraipaba, no Litoral Oeste do estado (a 135Km de Fortaleza).  Em sua maioria, as matanças são decorrentes da “guerra” do tráfico ou de disputas de gangues rivais dentro e fora de presídios.
Entre as 17 matanças listadas estão, pelo menos dois casos em que pessoas foram mortas em confronto com a Polícia, como no episódio ocorrido em abril deste ano na cidade de Jaguaruana quando sete pessoas morreram em meio a um tiroteio entre assaltantes de bancos e uma quadrilha interestadual de ladrões de bancos e carros-forte.
Em outros dois episódios, registrados em maio e outubro do ano passado, as mortes decorreram de incidentes dentro de presídios, como na mega-rebelião durante uma greve de agentes penitenciários,  quando 14 presos foram assassinados em conflitos internos nas Casas de Privação Provisória da Liberdade  (CPPLs) instaladas na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
Veja, a seguir, a lista completa das 13 chacinas em três anos no Ceará, e suas vítimas:
1 - Dia 14 de abril/2015 – Seis pessoas foram mortas no Distrito de Aprazível, no Município de Sobral (224Km de Fortaleza). Quatro corpos foram encontrados dentro de uma casa e mais dois em um matagal, no município vizinho de Meruoca.  Vítimas:  Bruno Pedro da Silva, Benedito Gomes da Silva, Aureliano da Silva Ribeiro, Antônio Geovane Nascimento de Sousa, Antônia Emilly Farias da Silva, Patrícia Farias da Silva e José Alves.
2 - Dia 15 de maio/2015 – Quatro pessoas foram mortas dentro de um bar no Distrito de São Raimundo, na zoina rural do Município de Limoeiro do Norte, na Região do Vale do Jaguaribe (300Km de Fortaleza).  Vítimas:  José Álisson Marques maia, Jorge Luiz da Silva, Francisco Edson de Sousa e Paulo Antônio Portela.
3 - Dia 11 de agosto/2015 – Chacina na Comunidade da Estiva, no bairro Mucuripe, na zona Leste de Fortaleza. Cinco pessoas foram executadas em um beco, por ordem de traficantes. Vítimas: Emílio de Paula Costa, Francisco Marismar Alves dos Santos, Raimundo Nonato Pereira Júnior, Rafael Guedes Nogueira e Maurício Cassimiro da Silva.
4 - Dia 30 de agosto/2015 – Cinco pessoas foram executadas na Comunidade da Cinquentinha, no bairro Jardim das Oliveira, por ordem de traficantes. Vítimas: Lucas Gomes Lima de Santana, Paulo César Lira Ramalho, Francisco Jonathan Lopes, Francisco Carlos Pereira de Lima e Elvis Inácio Barbosa.
5 - Dia 12 de novembro/2015 – A maior chacina no ano, quando 11 pessoas foram assassinadas na Grande Messejana. Os crimes ocorreram nas comunidades do Curió, Lagoa Redonda e Conjunto São Miguel.  Vítimas:  Antônio Álisson Inácio Cardoso, Marcelo da Silva Pereira, Patrício João Pinho Leite, Francisco Elenildo Pereira Chagas, Jandson Alexandre de Sousa, Valmir Ferreira da Conceição, Marcelo da Silva Mendes, Pedro Alcântara Barroso do Nascimento, Alef Sousa Cavalcante, Renaylson  Girão da Silva e Jardel Lima dos Santos.
6 - Dia 27 de novembro/2015 – Cinco pessoas foram mortas num confronto com a Polícia Militar na localidade de Serra do Vento, no Município de Redenção (52Km de Fortaleza). Vítimas: Marcos Alessandro Arcelino da Silva, Raimundo Nonato Coelho de Andrade, Pedro Antônio do Nascimento, Manoel Alves de Sousa e Jardeline Alexandre de Sousa.
7 - Dia 25 de dezembro/2015 – Cinco  pessoas morreram e outras duas ficaram feridas em consequência de uma chacina ocorrida dentro de um bar na Rua Francisco Calaça, no bairro Colônia, na zona Oeste de Fortaleza.  Vítimas:  Fábio da Silva Rodrigues, Tiago dos Santos Melo, Douglas Sales Pereira, Francisco Aílton Flor Inácio e João Lucas Farias de Sousa.
8 – Dias 21 e 22 de maio/2016 – Uma mega-rebelião em várias unidades do Sistema Penitenciário da Região metropolitana de Fortaleza resultou numa matança nas unidades. Conforme dados da Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus), no total, 14 presos foram mortos, sendo apenas 9 deles identificados como: Roberto Bruno Agostinho dos Santos, 33 anos; Rian Pereira Paz, 33 anos; Daniel de Sousa de Oliveira, 22 anos; Douglas Matos Ferreira, 21; Luan Brito da Silva, 21; Paulo César de Oliveira, 46; Francisco Clenildo Felipe Costa, 40; Daniel Henrique Maciel dos Santos, 26; e Diego Martins da Silva, 31 anos.
9 – Dia 8 de julho/2016 – Quatro pessoas são assassinadas, a tiros, em uma residência na Rua Campos do Jordão, no bairro Timbó Velho, no Município de Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Os mortos foram identificados como: Diego Alves de Paula, 21 anos; Nolberto Estevam Sousa, 17; Bruno Hudson Oliveira da Silva, 17; e Francisco Emanuel Freitas da Silva, 18.
10 – Dia 3 de outubro/2016 – Quatro presos são assassinados e os corpos queimados durante uma briga entre detentos da Casa de Privação Provisória da Liberdade Três (CPPL 3), no Município de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
11– Dia 20 de fevereiro 2017 – Cinco pessoas são assassinadas em um condomínio popular Leonel Brizola, no bairro Bom Jardim, em Fortaleza. Vítimas foram identificadas como Jéfferson Nazário Gomes de Oliveira Carvalho, Alan Lima dos Santos, Francisco Max da Silva Ângelo, Valdirene do Nascimento Ribeiro e Leonardo de Sousa Lopes dos Santos
12 – Dia 1º de abril/2017 – Sete pessoas foram mortas durante um confronto entre a Polícia e uma quadrilha de assaltantes de bancos na cidade de Jaguaruana (a 183Km de Fortaleza). O bando foi surpreendido na madrugada ao invadir a cidade e atacar duas agências bancárias simultaneamente. Dos sete mortos, seus eram componentes do bando. A sétima vítima era um cidadão, atingido por bala perdida. Dos sete mortos, seis foram identificados: Ita Alves de Oliveira, Guilherme Santos da Silva, Ediondas Duarte Costa Júnior, Tailton Tamaris de Sousa, Luciano Sebastião de Araújo e Francisco Francileudo Gomes da Silva (este último era o cidadão atingido por bala perdida).
13 – Dia 16 de abril/2017 – Quatro pessoas morreram numa troca  de tiros entre policiais e bandidos na localidade de Sítio Capim Grosso, na zona rural do Município de Russas (a 163Km de Fortaleza). A chacina começou quando bandidos mataram o policial militar soldado Menandro Cavalcante Nunes. Houve revide e outras três pessoas foram assassinadas. Apenas uma das três foi identificada. Tratava-se de Deivyde Aless Romão da Silva.
14 – Dia 3 de junho/2017 – Seis pessoas foram mortas em uma casa de praia no Porto das Dunas, no Município de Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A chacina teria sido um “acerto de contas” entre facções criminosas. Foram mortas as seguintes pessoas: Davi Saraiva Benigno, Nilo Barbosa do Nascimento, Mateus de Matos Monteiro, Fernando dos Anjos Rodrigues Júnior, Klysmann Menezes Cavalcante e Edmilson Magalhães.
15 – Dia 7 de junho/2017 – Quatro bandidos foram mortos em uma troca de tiros com policiais civis na estrada da Riviera, no Distrito de Tapera, no Município de Aquiraz. Segundo a Polícia, a quadrilha iria praticar uma chacina. O principal alvo do bando era um traficante do bairro Lagamar. Ele e seus comparsas seriam executados sumariamente.
16 – Dia 12 de junho/2017 – Cinco pessoas são mortas a cidade de Horizonte. Os mortos foram identificados como: Herton Ricardo da Silva Menezes, Bruna Érica Viana de Souza, Rafaela Alves Silveira, Marcilândio Cavalcante de Sousa, e uma criança de 3 anos, o  menino Gabriel de Souza Moura, filho de Bruna. 
17 – Dia 20 de julho/2017 – Quatro jovens executados a tiros, em Paraipaba. O crime ocorreu no começo da madrugada, no bairro Gurita, na entrada da cidade. Os quatro mortos foram identificados como Rodrigo Araújo dos Santos, 23; Clayver Braga de Almeida, 16 anos; Felipe de Sousa Oliveira e Rangel Pereira Batista. Uma jovem, identificada como Maria Valéria Ramos do Nascimento, 22 anos, foi baleada.  Criminosos usaram pistolas de calibre Ponto 40 e 380.
Por Fernando Ribeiro

0 comentários:

Postar um comentário