Pages

Subscribe:

About

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Lucro da Petrobras cai 14,6%, para R$ 316 milhões no segundo trimestre

Ganho no primeiro semestre chegou a R$ 4,8 bi e reverteu prejuízo dos primeiros seis meses de 2016
A Petrobras registrou, no segundo trimestre deste ano, um lucro líquido de R$ 316 milhões. O número é 14,6% menor que os R$ 370 milhões em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar disso, o ganho no primeiro semestre chegou a R$ 4,765 bilhões, o que reverteu o prejuízo de R$ 876 milhões dos primeiros seis meses do ano passado.
Segundo a empresa, o lucro ocorreu graças ao "aumento das exportações, menores gastos com importações, à redução das despesas operacionais e aos gastos com a adesão aos programas de Regularização de Tributos Federais".
Isso tudo reflete o ganho. Na visão trimestral houve menor margem e menor volume de vendas — disse Ivan Monteiro, diretor financeiro da empresa.
A receita caiu 4% no primeiro semestre, para R$ 135,3 bilhões. No segundo trimestre, ante mesmo período do ano passado, houve recuo de 2%, para R$ 66,9 bilhões.
A geração de caixa operacional, medida pelo Ebitda, ficou em R$ 44,3 bilhões no primeiro semestre, alta de 6% em relação ao mesmo período do ano passado.
Já no segundo trimestre, o número caiu 24%, para R$ 19 bilhões, afetado pela retração de 7% nas vendas de derivados no mercado interno e menores gastos com importações. Além disso, destacou Ivan, houve gastos de R$ 6,234 bi com adesão aos Programas de Regularização de Tributos Federais, e a provisão de R$ 818 milhões para perdas com recebíveis referentes ao navio-sonda Vitória 10.000.
 Haverá a volta do BNDES financiando os projetos da Petrobras. Em relação ao fim do ano passado, houve redução do endividamento bruto em 2%, passando de R$ 385,78 bilhões para R$ 376,58 bilhões. O endividamento líquido caiu 6%, para R$ 295,3 bilhões.
Solange Guedes, diretora de Exploração da companhia, destacou que o custo de exploração do barril do pré-sal é de US$ 7. Antes, esse custo era de US$ 8.
Descobrimos novos volumes de óleo no pré-sal da Bacia de Campos, como Marlim, parque das baleias, Forno, no campo de marlim leste e tivemos descoberta em Poraquê e Carimbé — afirmou Guedes.
Ela destacou que as exportações somaram 717 mil barris por dia no primeiro semestre, maior que os 482 mil barris por dia do primeiro semestre do ano passado. Assim, o saldo líquido foi de 401 mil barris por dia no semestre.
ESTATAL COM O PÉ NO FREIO
A estatal pisou no freio. No primeiro semestre houve recuo de 21%, para R$ 22,9 bilhões. A produção, puxada pelo pré-sal, subiu 4% no primeiro semestre, para 2,237 bilhões. A Petrobras pretende captar R$ 2 bi com o BNDES nos próximos seis meses através do Finame, para compras de máquinas e equipamentos. Segundo Pedro Parente, presidente da estatal, fez um balanço da atuação da companhia nesse segundo trimestre:
Na área de preços, estamos com ajustes frequentes, quase diários. A nova política de preçom de gás também está em funcionamento. Em relação aos custos e investimentos, houve redução superior ao planejado. Em relação á venda de ativos, houve retomada de desinvestimentos com a oferta de 33 campos de petróleo, ativos de distribuição no exterior e o IPO da BR.
Parente ainda não definiu o volume de ações da BR que será colocado à venda ao mercado.

0 comentários:

Postar um comentário