Pages

Subscribe:

About

terça-feira, 27 de março de 2018

Bandidos ameaçam novos atentados e fazem juras de morte ao deputado Vitor Valim

ValimValim vai denunciar o caso na Câmara dos Deputados e ao ministro da Segurança Pública
Em meio a mais uma temporada de ataques armados e destruição de ônibus através de incêndios criminosos, bandidos de uma facção voltaram a usar as redes sociais para espalhar mais ameaças à população cearense. Em um novo “salve geral”, eles agora dão nomes a seus alvos. Entre eles, o deputado federal e apresentador de TV, Vitor Valim, que apresenta um programa policial diário na TV Cidade. Ameaçam também atacar a sede emissora e suas equipes de reportagem, incendiado os veículos que transportam os profissionais de Imprensa.

O “salve geral” está postado desde a noite desta segunda-feira e os criminosos, mais uma vez, afirmam que os atentados já registrados irão se multiplicar no Ceará, atingido, além de ônibus e prédios públicos, táxis, carros do Uber, caminhões com cargas, pontes, coletivos que transitam pelas BRs, carros de reportagem, políticos e outros alvos na Capital e no Interior.

“Se acharem que estamos blefando, aguardem aí”, diz o comunicado. Os criminosos citam o nome do governador do estado, Camilo Santana (PT) como o responsável pela reação violenta da facção, após o anúncio da instalação de bloqueadores de sinal de telefonia móvel (celular) nos presídios da Grande Fortaleza. Segundo eles, Camilo já teria se reunido com representantes de uma empresa para a instalação dos equipamentos em presídios e Casas de Privação Provisória da Liberdade, as CPPLs.

Citam, entre as unidades que receberão os bloqueadores, as CPPLs 1, 2 e 3 que joje abrigam, exclusivamente, detentos ligados às facções criminosas que atuam no Ceará.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) não se pronunciou sobre o fato.

Denunciar

Vitor Valim informou que irá denunciar as ameaças na Câmara dos Deputados, em Brasília; ao presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia; e ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

Fonte: Blog do Fernando Ribeiro

0 comentários:

Postar um comentário