Pages

Subscribe:

About

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Camilo confirma transferência de mais 20 líderes de facção

Governador se reuniu com representantes de instituições para discutir medidas de combate ao crime organizado
O governador Camilo Santana reuniu na tarde desta quinta-feira (10), no Palácio da Abolição, com representantes de entidades e instituições cearenses. O encontro, que durou cerca de 2 horas, discutiu as ações em segurança púbica que tem sido realizadas nos últimos dias no Ceará. 

Camilo detalhou as ações e reiterou que a prioridade é garantir a prestação de todos os serviços a população cearense, com toda a segurança necessária. “Realizamos forte investimento na área de segurança e no sistema penitenciário. Aumentamos em 50% o número de policiais e estamos dobrando o número de agentes, além de criarmos uma secretaria própria para cuidar do sistema. Estamos tirando regalias dos presídios e isso causou toda uma reação do crime organizado do lado de fora”, citou Camilo. “Além de tudo, já transferimos 21 chefes de grupos criminosos e, nas próximas horas, vamos transferir mais 20. A minha decisão é não recuar nenhum milímetro e não tenho dúvida que essas ações terão reflexo positivo para os cearenses no futuro próximo”, destacou o governador. 
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará, Erinaldo Dantas, sugeriu reorganização do sistema penitenciário, citando o excesso do número de presos provisórios e a disponibilidade das celas em que presos de menor periculosidade dividem espaço com bandidos.

Estiveram presentes representantes do Tribunal de Justiça, Justiça Federal, Assembleia Legislativa, Ministério Público do Estado, Ministério Público Federal, Prefeitura, Câmara Municipal, Tribunal Regional do Trabalho, Defensoria, Advocacia Geral da União, órgãos de segurança estadual e federal (PF e PRF), entidades como Fiec, CDL, Fecomércio, OAB, ABIH, Abrasel, Sindiônibus, CUT, Instituto Brasileiro de Executivos e Finanças, Fetraece, além das universidades estadual e federal.


Fotos: Reprodução
CNews

0 comentários:

Postar um comentário